Skip to content

AbraMG se reúne em Brasília com Secretário da Saúde e técnicos do MS

01/07/2012

Ata da reunião da ABRA MG em Brasília, dia 20 de junho de 2012.

Local: FIOCRUZ, de 11 às 12h30min.

Participantes:

– Deputada Federal Jô Moraes

– Dr. Helvécio Miranda Magalhães Junior- secretário de saúde

-Dr. Paulo Bonilha- coordenador da Atenção à Saúde da Criança e Adolescente do MS.

-Dra. Patrícia –  coordenadora da Atenção às Doenças Crônicas do MS.

– Magna Maria Silva- Representante leiga da ABRA MG (Associação de Asmáticos de Minas Gerais)

– Dra. Corina Toscano Sad- Vice-Presidente da ABRA MG

– Dr. Guilherme Freire Garcia- Diretor científico da ABRA MG

A reunião foi agendada pela Deputada Jô Moraes, sensibilizada pela questão da asma no Brasil, que fomentou uma reunião do Executivo, Legislativo e representante da Sociedade Civil. Após esta reunião, a deputada fez pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados sobre o dia nacional da asma 21 de junho, comentando a presença da ABRA MG em Brasília.

Assunto:

Inicialmente, Dra. Corina e Dr. Guilherme, médicos da diretoria da ABRA MG, relataram seus conflitos de interesse.  Em seguida, foram apresentados  plano de ação, criação, atividades desenvolvidas, objetivos, financiamento e divulgação na imprensa da associação de asmáticos.  Magna apresentou os problemas críticos enfrentados pelos asmáticos em Minas Gerais e na finalização foi apresentado o panorama nacional de hospitalização e mortalidade por asma no Brasil e as iniciativas já existentes, analisando seus pontos fortes e fracos.

Dentro das competências da ABRA MG, foram apontadas sugestões para educação de asmáticos e proposto protocolo para facilitar o atendimento dos asmáticos na atenção primária, sendo ressaltada  a importância da participação ativa dos pacientes nos programas de tratamento.

Após a apresentação, Dr. Helvécio apresentou os programas de saúde do Governo Federal, reforçando que as doenças respiratórias estão entre as cinco prioridades de ação em doenças crônicas. Destacou que a Sociedade Civil pode contribuir para elaboração de políticas públicas que incluem a asma, o que será iniciado em agosto de 2012 e sugeriu a participação da ABRA MG em reuniões futuras. Observou também que a diminuição da internação por asma, de 50% nos últimos 10 anos é fato reconhecido internacionalmente, mas que apesar disso, não houve redução significativa da mortalidade por asma em adultos.

Resumo das principais ações necessárias para o tratamento integral da asma, apontadas na reunião:

1-      Treinamento do transporte de urgência, das urgências e terapia intensiva em asma.

2-      Treinamento da assistência em asma da rede primária, tanto infantil como de adultos.

3-      Equipe multiprofissional

4-      Melhora do atendimento secundário, com facilidade ao acesso aos especialistas em asma, quando indicado, e à espirometria.

5-      Estruturação de centros de referências em doenças respiratórias, com monitoramento de resultados.

6-      A asma de difícil controle deveria ser tratada como gestão de casos, devido à gravidade, alta mortalidade e custos. A medicação de alto custo, hoje adquirida por via judicial, deverá ser avaliada pela CONITEC (Comissão Nacional de Inovação Tecnológica). Parcerias com a Indústria farmacêutica podem ser feitas em casos especiais.

7-      Nos casos localizados de demanda judicial, propôs a formação de câmara constituída por representantes dos pacientes, gestores, judiciário e associações, nos moldes do que já acontece em nível nacional e também em Belo Horizonte.

8-      Considerou pertinente a ideia de um protocolo ágil de acessível para profissionais e pacientes asmáticos para melhorar a informação, proposto pela ABRA MG.

9-      Dr. Helvécio acha viável a disponibilização no “Programa Aqui tem Farmácia Popular” das medicações asmáticas só fornecidas em protocolos estaduais, em 35.000 postos de atendimento, que isto seria melhor do que o governo comprar a medicação e distribuí-la. Houve um aumento importante do consumo da medicação de asma após incorporação na farmácia popular, mais do que diabetes e hipertensão.

10-   O monitoramento para asmáticos por call centers seria uma solução para melhorar a adesão do asmático grave, incluindo todos que se internaram por asma.

11-   Embora reconheça a necessidade de fomentar a existência de associações de pacientes, o financiamento da ABRA MG com recursos do MS encontra empecilhos legais.

Reunião da AbraMG no Ministério da Saúde

Prezados Helvécio e Deputada Jô Moraes,

Esta reunião, agendada pelo Legislativo, significou para nós algo especial. O ministro da Saúde, bem intencionado, dando explicações para uma paciente, que mora na periferia de Belo Horizonte com todas as dificuldades inerentes às grandes cidades, porém com um coração de ouro (e  faz trabalho voluntário em casa que abriga crianças com paralisia cerebral). Esse encontro costura os nós de uma corrente, unindo as pontas do Brasil na democracia e no espírito do bem de todos. É o que constrói um grande país! Parabéns pela postura grandiosa, onde as grandes e pequenas coisas têm o mesmo tamanho e são muito importantes, quando a solidão do abandono e do poder se transforma em aliança.

AbraMG com a Dep Jô Moraes

Diretoria da AbraMG

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: